A Importância da Direção Espiritual na Vida Cristã

A Importância da Direção Espiritual na Vida Cristã

Parte II

1.As Condições da sua Eficácia: A Sinceridade

    

Certo senhor acordou um dia e sentiu um mal-estar: estava com dor de estômago. Pegou um remédio no armário, tomou-o e, pronto, a dor passou. Dois dias depois, voltou a sentir a mesma dor; mas desta vez um pouco mais forte. Com medo de ir ao médico, pois tinha receio de que o doutor lhe dissesse que estava com uma doença terrível, conseguiu outro remédio com um amigo; tomou-o novamente durante alguns dias e…, tudo resolvido. Algumas semanas se passaram, e desta vez a dor foi insuportável. Não teve jeito! Ele foi para o hospital. Exames daqui. Exames de lá. E pronto: ele estava com uma úlcera, que se não fosse tratada, poderia ter se tornado algo pior.

Esta história pode bem servir-nos para nos mostrar que, se queremos verdadeiramente seguir o caminho de Deus com mais consciência, maturidade, fortaleza, a primeira coisa que devemos fazer é permitir que as causas das nossas dores sejam descobertas, que elas venham à luz.

A preguiça, a sensualidade exacerbada, a murmuração, o negativismo, a irritação constante, o rancor insistente, a maledicência e etc., podem ser consequências de uma realidade mais profunda que é preciso descobrir. Faz-se necessário refletir sobre estas coisas à luz da fé, ou seja, na presença de Deus. E, posteriormente, ter a coragem de contá-las ao diretor espiritual.

Para que a direção espiritual não seja uma perda de tempo, temos que ser absolutamente sinceros. Os bons frutos de uma orientação podem se perder se ficarmos relatando coisas superficiais. Não podemos ter medo de examinar a nossa alma. É preciso descobrir a doença e atacá-la com o remédio certo.

Assim, a primeira e fundamental condição é a sinceridade plena. Precisamos aprender a reconhecer nossos defeitos, misérias, imperfeições e erros. E chamar tudo isso pelo nome, sem subterfúgios e sem querer amenizar o que anda nos fazendo mal.

 

 

 

 

           

 

 

 

           

 

Pe. Max Celestino Sales de Almeida

                                                                                                         Pároco

 

Fonte: Fernández-Carvajal, Francisco. A quem pedir conselho? A prática da direção espiritual. São Paulo: Quadrante, 2002.