A Legião de Maria Seu espírito, seu serviço e sua espiritualidade

O espírito da Legião, ou seja, aquilo que anima os seus membros no anúncio de Cristo, é o mesmo que animava Maria no seu seguimento de Deus, e que encontramos descrito no Manual, à página 12: “humildade, obediência perfeita, doçura angélica, aplicação contínua à oração, mortificação universal, pureza perfeita, paciência heroica, sabedoria celeste, amor corajoso e sacrificado a Deus e, acima de tudo, fé, virtude que só ela praticou no mais alto grau, jamais igualado”. Sem dúvida, qualquer um poderia pensar que tudo isso é demais para pecadores que somos; mas o legionário sabe que para aquele que ama Jesus, a Igreja e Maria, nada é impossível, pois experimenta diariamente a graça de Deus que lhe vem pelo coração intercessor desta Santíssima Mãe. O legionário sabe que este espírito é possível se ele se entregar, sem reservas, ao coração de Jesus pelo coração de Maria.

    Neste espírito de amor, os legionários exercem, para a edificação da Igreja de Cristo, o seu serviço, sempre lembrando que “o legionário deve “revestir-se da armadura de Deus” (Ef 6,11), deve ser “uma hóstia viva, santa, agradável a Deus… não conformando com este século” (Rm 12,1-2), não deve furtar-se ao “trabalho e à fadiga” (2Cor 11,27), deve “andar no amor, como também Cristo nos amou e se entregou a Si mesmo por nós” (Ef 5,2), deve “acabar a sua carreira” (2Tm 4,7), ou seja, nunca desistir, mesmo diante das maiores dificuldades.

    E neste espírito e neste serviço, o legionário vive a sua espiritualidade, que se reflete nas orações próprias legionárias e que se alimenta da intimidade profunda de Maria com Deus, que a escolheu para ser a Mãe do Salvador da humanidade, que se fortalece na certeza de que Ela é a intercessora universal, não se esquecendo de nenhum de seus filhos, que se robustece no banhar-se no mar materno do seu Imaculado Coração, que se rejuvenesce ao perceber que Ela é Mãe terna e bondosa, que se consolida porque sabe que a raiz do seu apostolado legionário é a devoção a Ela, que se anima, pois sabe o quão é importante que todos os corações conheçam e experimentem o seu amor inigualável de Mãe. Assim o legionário deve manter sempre aceso o desejo de fazer Maria conhecida em todas as partes da terra, pois onde Maria chega os corações se abrem mais facilmente para a salvação operada por Jesus Cristo.

 

Pe. Max Celestino Sales de Almeida

                                                                                                                                    Pároco