A Importância da Direção Espiritual na Vida Cristã Parte I

2.Quem nos “afina”?

 

Igual a um velho violão, mas valioso e cheio de possibilidades, todos nós necessitamos de alguém que nos “afine”, ou seja, que nos indique o caminho a ser trilhado. Na experiência de tantas situações difíceis na vida, somente Deus é Aquele que tem o remédio, Aquele que dá sentido à existência e à caminhada, marcada muitas vezes por cruzes.

Neste caminho de “afinação” do coração e da vida, Jesus Cristo se apresenta para nós como Mestre, Médico e Bom Pastor. Ele é Mestre porque com sua autoridade indica-nos o caminho certo para uma vida plena de felicidade e uma história cheia de salvação. Só Ele pode mostrar o caminho! É o Médico porque não há doenças incuráveis para Ele, nem problemas que não tenha solução. Se O procurarmos com confiança, Ele cura o nosso egoísmo. É o Bom Pastor porque sempre busca a ovelha desgarrada, – Ele nunca se esquece de nós! – e carrega nos ombros a ovelha ferida. Quando nos desviamos do Caminho, pois procuramos outros caminhos, Ele vai atrás de nós e não descansa até nos encontrar ou, por que não dizer, até nos deixarmos ser encontrados por Ele. E isso é bonito! É reconfortador! E por que Ele faz isso? Porque cada um é único para Ele!

Diante de nossas dúvidas sobre as questões da vida e dos ensinamentos da Santa Mãe Igreja, perguntemos ao Cristo Mestre e, com certeza, Ele não nos deixará sem resposta. Diante das nossas enfermidades da alma, que tanto nos atrapalham a sermos verdadeiros cristãos, peçamos a cura ao Cristo Médico e Ele, certamente, terá o remédio para nós. Diante dos ferimentos do coração, que nos impedem de seguir adiante no caminho cristão, supliquemos ao Cristo Bom Pastor que nos conduza em seus ombros e Ele, sem dúvida, nos oferecerá seus braços para nos carregar.

Por que Ele se esforça tanto assim por nós?! Poderíamos nos perguntar. Porque para Ele nunca dá por perdidos os que tropeçaram ou andam desorientados ou feridos. Todos podem ser recuperados para Ele.

Fonte: Fernández-Carvajal, Francisco. A quem pedir conselho? A prática da direção espiritual. Ed. Quadrante, São Paulo: 2002.