A Importância da Direção Espiritual na Vida Cristã

ParteI

 

            Na 1Cor 13,11 lemos o seguinte: “Quando era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Depois que me tornei homem, fiz desaparecer o que era próprio da criança”. Este trecho se encontra em uma das mais belas páginas escritas por São Paulo, que se chama entre os estudiosos da Bíblia de Hino à Caridade (1Cor 13).

Cantar louvores a Deus por seu imenso amor! Como fazê-lo? Pois esse não é um amor qualquer, mas um amor tão grande que mal podemos descrever, nem sequer balbuciar seu significado e grandeza! Apesar da infinitude desse Amor, São Paulo nos indica um caminho possível para podermos dele fazer a experiência: deixar para traz o que é de criança, assumindo com coragem a vida cristã de um adulto na fé. Mas como deixar a criança de lado, mantendo, porém, sua pureza, sua incondicional confiança, se tornando um adulto cheio de fé, esperança e caridade?

Aqui entra o papel da Direção Espiritual. Trata-se de uma prática muito antiga, que visa ajudar o cristão a ler sua vida à luz da Palavra de Deus, a descobrir a vontade de Deus para si, a ir percebendo, sobretudo nos pequenos detalhes, onde e de que modo Deus está agindo. A direção espiritual, então, procura ser um auxílio na vida do cristão, para que ele, aos poucos, mas sempre, vá deixando a fé infantil, que não lhe serve mais, e se revista de uma fé mais amadurecida, consciente, compromissada e vigorosa. Seu objetivo último é fazer-nos experimentar, em todas as circunstâncias da vida, esse Amor.

Nos números seguintes do nosso Informativo Paroquial debruçar-nos-emos sobre este universo singelo, mas cheio de vigor, que é a Direção Espíritual.

 

Pe. Max Celestino Sales de Almeida

                                                                                                         Pároco